Fadiga pode ter origem no sistema imunológico

Estudo aponta que a Síndrome da Fadiga Crônica pode estar relacionada à hiperatividade do sistema imunológico

Sabe aquela sensação de cansaço extremo, o sono que não passa mesmo depois de dormir por horas e as dores musculares constantes? Esses são alguns dos sintomas da Síndrome da Fadiga Crônica, que atinge 24 milhões de pessoas no mundo. Segundo um estudo desenvolvido pelo Instituto de Psiquiatria, Psicologia e Neurociência do King’s College, essa doença pode ter sua origem na hiperatividade do sistema imunológico.

O estudo recrutou 55 pacientes que sofrem de Hepatite C, todos com níveis semelhantes de fadiga. Ao longo de 12 meses, eles receberiam injeções contendo uma proteína, naturalmente produzida pelo corpo, que atua no combate a infecções. Durante o tratamento, os participantes relataram sintomas característicos da síndrome. Após o fim do estudo, 18 continuaram a sofrer com a fadiga, que teria ficado mais intensa. E esses mesmos pacientes apresentaram uma resposta imunológica exagerada para o controle da infecção.

O estudo ainda identificou que, quando a síndrome atinge um estado crônico, diferenças entre o sistema imunológico daqueles que sofrem com ela e o de pessoas completamente saudáveis não são mais detectadas.

Apesar de haver um longo caminho a percorrer nesse campo de pesquisas, os resultados permitiram que os especialistas formassem algumas teorias. “Algumas pessoa têm um sistema imunológico hiperativo. Isso pode acontecer ou por predisposição genética ou por terem sido expostas a infecções no início da vida. Assim, quando o gatilho vem, ele causa uma resposta ainda maior que coloca os pacientes em uma trajetória para desenvolver a síndrome”, disse Carmine Pariante, pesquisadora do Instituto de Psiquiatria, Psicologia e Neurociência do King’s College, ao The Independent.

Fonte: https://mdemulher.abril.com.br

0 respostas

Deixe uma resposta

Quer juntar-se a discussão?
Sinta-se à vontade para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *